Monday, 16 February 2009

acorda, fia!

Durante a SPFW, nossa querida companheira Nina Lemos fez uma reportagem sobre a modinha do lenço palestino. O fato é que, apesar de a peça já ter sido aposentada como "fora de moda" pelos top fashionistas (ui!) desse mundão, muita gente apareceu na Bienal com o adereço.

E, como boa parte dos lançadores de tendência, a galera que usa não tem nem idéia do que esse lenço - peça usada pelos beduínos do deserto e que mais tarde virou símbolo da luta pela criação do Estado Palestino - representa. As pessoas entrevistadas pela Nina não souberam nem dizer o que estava (e está acontecendo, apesar da frágil e provisória trégua) na Faixa de Gaza, onde uma ofensiva militar do governo israelense massacrou, desde dezembro passado, mais de 1.300 palestinos (entre eles, cerca de 400 crianças), segundo números oficiais.

Uma leitora, identificada apenas como Maria Cláudia, de São Paulo, escreveu criticando a falta de "sensibilidade" dos fashionistas, que tomam posse de um símbolo de luta e resistência de um povo sem ao menos saber o que ele significa. Eu concordo. Tanta alienação emburrece, distancia as pessoas da realidade, da vida de verdade. E não estou aqui crucificando os entrevistados. Eles, ao menos, foram sinceros - admitiram ignorar o assunto em vez de repetir alguma frase de efeito sobre o conflito, feito papagaios ensinados pela TV. Espero que, depois da reportagem, tenham se informado melhor.

Mas, sabe minha gente, chega de viver no mundinho do faz-de-conta. Vamos acordar pra vida, né? Sim? Então, combinado, a nova "it-bag" do momento é acordar para a vida. O novo preto é acordar para a vida. O novo sapato "must-have" é acordar para a vida. O novo shape da hora é acordar para a vida. A nova musa do verão é acordar para a vida. A new face recordista de desfiles é Acordar Para a Vida. O item que não pode faltar no make de inverno é o elixir de acordar para a vida. A melhor trilha da temporada é acordar para a vida versão rap-remix-neofolk. O melhor desfile foi o da grife acordar.para.a.vida. Acordar para a vida é o hit da temporada.

Abaixo, protestos pró-palestinos ao redor do mundo e gente que sabe o que leva no pescoço (e na cabeça).


estudante, no Líbano


em Madri, Espanha


em Nova York


em Paris

(reportagem de Vivian Whiteman, Folha Online, 26.01.09)

Wednesday, 4 February 2009

prazer

oh leminsk, my little fucking darling... não poderia haver hora mais apropriada para conhecer-te, através da minha querida Dai. obrigada Dai. que bom que você apareceu, nos apresentou, sentou ao meu lado, ofereceu um cigarro e me pagou pequeninas taças de vinho. puxou um pedaço de folha e pediu que ele escrevesse isso. my little baby Dai... seus colos e sorrisos são fundamentais, mas vir com leminski por hoje foi golpe baixo, Dai, my Dai. saudades. tome mais uma taça conosco porque lá vem ele...

"quando eu tiver setenta anos
então vai acabar esta minha adolescência

vou largar da vida louca
e terminar minha livre docência

vou fazer o que meu pai quer
começar a vida com passo perfeito

vou fazer o que minha mãe deseja
aproveitar as oportunidades
de virar um pilar da sociedade
e terminar meu curso de direito

então ver tudo em sã consciência
quando acabar esta adolescência."

(paulo leminsk)

Monday, 2 February 2009

LOVE IS NOISE

a coisa toda se degringola a partir do momento que percebem, decepcionados, que ela não quer viver como os outros. ela não quer viver num mundinho limitado, onde tudo ocorre igualzinho e de maneira rotineira. o mundinho das pessoas, sabe? o mundinho ordinário. ela não consegue.

viver num mundo só.

ela não sabe.

pensar e sentir de uma maneira só.

ela precisa pertencer a vários mundos. ser vários mundos. muitos. ela passa por e os sente da maneira mais profunda e intensa possível. mas é como se ela fosse e não fosse de cada um deles, ao mesmo tempo. como quando vc. enfia a mão no pote de nutella, engole tudo e limpa as mãos na água da pia. virando a esquina, pode ter toda a certeza de que lá estará ele.

outro pote.

enjoy.