Wednesday, 13 June 2012

nulo.

não queria escutar mais nada.
nada de que, porque, nada de nada.
simplesmente os forçava a calarem em suas insignificâncias,
mediocridades e companhia.
era tão nulo, tão nada, tão 'adeu, não quero'.
acho que nunca quis. pfff...
cansada de desculpas, complexos e afins,
cantou aos quatro cantos cantáveis da vida:
"minha filha, eu não tô nem aí."


No comments:

Post a Comment