Monday, 18 June 2007

Palco

Eu nasci para ficar no palco
com luzes tão fortes, capazes de me cegar de tanta dor
Eu nasci para ficar sozinha
e viver sentimentos que não são meus
Pois os meus são demasiadamente desesperadores,
angustiantes, sólidos, frios
Eu nasci para viver o outro
e sofrer o outro
e sorrir o outro
e com isso
achar uma luz para o meu próprio eu
No outro
Eu no outro
eu.
Soe uma luz tão forte, mas tão forte, que consiga, cega,
me levar para onde devo ir
Para o palco da vida
da vida dos outros,
vivida tão viva por mim
Meu corpo vai agüentar
Minha mente vai entender
Você ai, despeje-se sobre mim
estou aqui para te ter.

4 comments:

  1. querida,
    vc acertou no seu blog; com Arte e não com "opiniões/julgamentos/ fofocas"...rsss
    Fique bem e sucesso!
    Beijão,

    ReplyDelete
  2. Muito bom, gostei! A rima a fluência ... bjs

    ReplyDelete
  3. Débora faz outra canção. E desta vez La Aoni descreve, narra e exalta o ator, o ser o outro. Falta a melodia, mas Débora canta cada compasso, cada nota lá dentro dela, guardada reconditamente.

    ReplyDelete
  4. Acabei de ler querida Dé...e entendo e antendo e entendo e sinto. Bj menina e muito amor.

    ReplyDelete